Contrato de manutenção de equipamentos hospitalares.

O  contrato de manutenção de equipamentos hospitalares traz grandes benefícios para as unidades de saúde, na gestão dos equipamentos,  preservando e aumentando a vida útil dos mesmos, de forma que os equipamentos possam entregar aos pacientes segurança e qualidade assistencial.

Como já sabemos, o setor de Engenharia Clínica, dentro de instituições de saúde é de grande importância quanto a gestão de contratos de manutenção hospitalar, além de evitar que tais contratos fujam das necessidades dos hospitais.

Esses contratos de manutenção hospitalar se referem aos serviços contratados e são voltados a engenharia clínica. Para realizar o melhor gerenciamento dos serviços contratados é essencial que alguns termos sejam claros, alguns desses termos são:

Contrato: é o documento na qual as exigências de ambas as partes, contratante e contratado, convergem;

Contratado: é a parte que fornece um serviço ou produto;

Contratante: é aquele que adquire o produto ou serviço e paga por ele.

As exigências contidas em um contrato são os pontos chave para defini-lo. Em geral, quanto maior o número de exigências maior o valor (R$) dele.

Deverá a empresa a ser contratada oferecer os seguintes serviços, através de uma equipe devidamente qualificada a execução das manutenções  nos equipamentos médicos hospitalares e gerenciamento informatizado:

Contrato de manutenção de equipamentos hospitalares.

Manutenção preventiva:

Elaboração de cronograma de manutenção; Execução das manutenções, Inventário de

equipamento; Acompanhamento contrato de terceiros.

Manutenção corretiva:

  • Elaboração de uma rotina de manutenção corretiva; Controle de entrada de solicitação de
  • Serviço; Execução das manutenções; acompanhamento contrato de terceiros;
  • Analises de Segurança Elétrica:
  • Execução da análise de segurança nos equipamentos médico-hospitalares; Evidência da
  • Análise;
  • Calibração:
  • Execução da calibração nos equipamentos médico-hospitalares; Emissão de certificado;
  • Consultoria e assessoria para incorporação tecnológica da unidade:
  • Participar efetivamente do processo de aquisição de equipamentos a ser adquirido, custos
  • futuros com manutenção, peças de reposição, acessórios e insumos, objetivo o melhor custo-benefício à instituição; Emitir parecer técnico quanto às propostas em processo de licitação;
  • Especificação técnica;
  • Consultoria e assessoria para aquisição de peças de reposição:
  • Participar da especificação técnica do material a ser adquirido, levando em consideração
  • Melhor custo-benefício.

Gerenciar o recebimento e instalação de equipamentos:

Acompanhar a abertura da embalagem que deve ser realizo pela entidade ganhadora do processo, salvo em casos autorizados por escrito pela entidade; Observar se o equipamento entregue condiz com o equipamento apresentado na proposta; Observar se todos os  anuais exigidos pelo edital acompanham o equipamento; Observar possíveis danos causados ao equipamento durante o seu transporte; Acompanhar pessoalmente todo o processo de instalação, executado pelo fornecedor; Avaliar/ aceitar o equipamento e registrar parecer.

Portanto, é necessário detalhar as tais exigências, os tipos de contratos de manutenção de equipamentos e o que deve ser levado em consideração para que não seja feito um mau negócio.

Quais são os tipos de contratos de manutenção de equipamentos?

É muito importante que o responsável pela gestão de contratos, no caso o Engenheiro Clínico gestor, defina exatamente quais as exigências de cada equipamento. Para tanto existe a necessidade de separar os contratos em tipos.

São vários os tipos de contrato externos, dentre eles os dois mais usados são:

Contrato de serviços por período determinado:

Este é direcionado, geralmente, à equipamentos de sofisticação elevada como, raio X, tomografia, ressonância magnética, entre outros. Esses contratos são feitos nas modalidades:

Serviço completo: este cobre um número de manutenções preventivas (MP) que devem ser feitas periodicamente, chamados ilimitados para reparo, inclui todas as peças, despesas de viagem e disponibilidade de 24h/dia, sete dias por semana, durante os 365 dias do ano;

Serviço com hora limitada: tem um número específico de Manutenção Preventiva com intervalos regulares, chamados ilimitados para reparo, inclui todas as peças, despesas durante os dias específicos de atendimento.

Serviço limitado: também inclui um número específico de Manutenção Preventiva, todas as peças, despesas de um número máximo de chamados voltados a serviços específicos do contrato;

Contrato de serviço sob demanda:

Esse tipo de contrato é mais comum para equipamentos de média e baixa complexidade, e é dividido em dois tipos:

Serviço sob demanda: nesse caso é feito um contrato formal, que inclui Manutenção Preventiva e serviço de reparo feito após a solicitação do cliente. Os custos são baseados no tempo e no material utilizado.

Esta modalidade pode trazer benefícios em termos de custos, já que o prestador de serviço em princípio pode ser escolhido em função da qualidade e do preço e é exclusivo para aquele contrato.

É necessário que o engenheiro clínico responsável pelos contratos de manutenção, fique atento ao enviar um equipamento para elaboração de orçamento, visto que os prestadores de serviço cobram por essa elaboração. Assim não se torna interessante mandar para mais de 2 prestadores.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ÚLTIMOS POSTS

WeCreativez WhatsApp Support
Nossa equipe de suporte ao cliente está aqui para responder às suas perguntas.
👋 Olá, como posso ajudar?